18 Dicas que toda pessoa que viaja deve saber, não importa para onde esteja indo


Você conhece alguém que não goste de viajar? Eu não. Conheço gente que gosta de voltar para o lar, mas isso não quer dizer que não goste de viajar.  Conhecer novos lugares, novas culturas, ampliar nossos conhecimentos, ver coisas bonitas, fazer uma compra ou outra, trabalhar, ganhar dinheiro, fazer contatos bacanas… Tudo isso é possível em viagens. Para te ajudar a fazer uma viagem tranquila, com o mínimo de intercorrências que estraguem seus dias, aproveitei minha experiência como viajante para te deixar algumas dicas.  Não importa se você está indo para Milão ou para Jequitinhonha, para Paris ou para Chapecó: há determinadas providências que podem ser tomadas para facilitar sua vida.

Vamos lá?

1. Seja “econômica” na hora de separar as roupas para por na mala. Faça suas combinações antes, em cima da cama. Pense quais são os maiores problemas que você pode enfrentar quando tiver que se vestir, já em seu destino. Por exemplo: meu master perrengue é que sou baixinha, pequeninha, então não consigo comprar calças, já que nenhuma serve no comprimento.Todas as minhas calças precisam ir para o conserto, para fazer a bainha. Se em viagem eu precisar, se sujar tudo que levei, se por acaso acontecer algum acidente, estou literalmente ferrada. Atualmente menos que antes, já que hoje existem aquelas fitas que seguram a bainha no lugar (sabe né? A gente dobra a bainha para dentro e cola uma fita, como se fosse uma fita crepe). Hoje carrego essas fitas comigo, mas até pouco tempo atrás isso não existia. Assim, eu tinha que levar mais calças do que blusas. Camiseta, se eu precisasse era fácil comprar uma baratinha. Calça não adiantava encontrar por um bom preço. Conheço uma pessoa que não tolera usar o mesmo sapato vários dias. Dizem que eles começam a incomodar ao invés de ficarem mais macios com o uso. Ela leva duas blusas e duas calças para viajar. Em compensação, leva dez sapatos.

Qual é o seu maior perrengue? Previna-se quanto a ele, mas tente ser econômica em suas escolhas. Leve o mínimo possível, porque isso irá te salvar em várias situações: não pagar excesso de bagagem, se estiver viajando de avião (com as novas regras da ANAC, as companhias aéreas estão cobrando uma fortuna por peso de bagagem excedente), também te poupará de ter que carregar bagagem muito pesada por onde for (é muito comum, em viagem, termos que trocar de hotel ou de quarto no mesmo hotel, também pegar metrô ou trem, ou ainda cometermos um engano no aeroporto ou na rodoviária, precisando carregar as malas por longas distâncias);

2. Use um cadeado para fechar sua mala. Se possível, coloque aqueles plásticos que protegem mais ainda a bagagem. O cadeado deve ser do tipo que você possa colocar uma senha. Se você viajar para o exterior, por exemplo, esses cadeados facilitam o manuseio de sua bagagem pelos agentes de segurança, que poderão inspecionar sua malas sem sua presença. As autoridades americanas fazem muito isso. Minhas malas já foram abertas várias vezes e depois fechadas com o mesmo cadeado, sem que nada faltasse. Sei que foi a inspeção – e não algum gatuno de plantão – porque deixaram sempre uma carta explicando a abertura da mala. Se o cadeado for de um tipo diferente, poderá ser danificado se as autoridades resolverem abrir sua mala. Ela viajará aberta depois disso, correndo o risco, aí sim, de ser vasculhada por ladrões. Além disso,  os cadeados com chave são muito fáceis de arrombar. Mesmo que sua bagagem não fosse ser revistada, não valeria correr o risco de usar um cadeado simples. Sim, ladrão quando quer dá um jeito de abrir qualquer coisa, mesmo os cadeados com segredo. Porém, segundo informações que obtive junto a um pessoal das linhas aéreas que utilizei em minha última viagem, malas com cadeado de segredo tendem a coibir algumas tentativas de furto. O cara vai pensar duas vezes antes de querer abrir sua mala. Ainda mais se ela estiver encapada com plástico do tipo Protec Bag. Não é propaganda da empresa não. É serviço de utilidade pública. Claro que se você resolver envolver sua mala com o plástico, o mesmo poderá ser violado em caso de inspeção. Eu prefiro correr o risco e investir uma graninha nisso. Se minha mala não for sorteada para ser inspecionada, viajará bem protegida. Se for selecionada, perderei o dinheiro investido com o plástico. Risco calculado;

3.Mantenha uma “troca de roupa”dentro da mala de mão, para o caso de extravio de sua bagagem. Assim você chegará ao seu destino e terá como se virar com essas roupas enquanto não acham sua mala;

4. Não carregue produtos de beleza na mala de mão. Na última viagem que fiz, havia uma mulher linda em nosso grupo. Pois ela não levou cremes hidratantes caríssimos dentro da bolsa de mão? Tiraram tudo e mandaram botar fora para que ela pudesse embarcar. Não caia nessa esparrela. Leve apenas o necessário, até mesmo para que sua bolsa não pese: documentos, endereços, reserva do hotel, caneta, troca de roupa, alguma leitura, seu telefone, remédios imprescindíveis (em pequena quantidade. Só carregue o que for necessário para o período da viagem), óculos, algo mais que você possa precisar durante a viagem (eu levo aqueles travesseiros que encaixamos no pescoço. Durmo muito mal e eles me dão uma ajuda para passar melhor o período do voo);

5. Remédios, de preferência com a bula, em pequena quantidade e ensacados naqueles saquinhos ziploc, sabe? Já vi muita gente tendo que botar fora o excesso de medicação que levava dentro da bolsa. Os agentes de segurança estão fazendo o seu trabalho. Não brigue, não discuta. É para a segurança do voo que existem certos procedimentos de checagem;

6. No aeroporto, não desvie o olho de sua bolsa ou de sua mala. Se parar para tomar um cafézinho despretensioso no balcão, grude nelas. Há quadrilhas especializadas dentro dos aeroportos apenas esperando uma bobeada nossa;

7. Não use muitos enfeites durante a viagem de avião. Os acessórios poderão te incomodar. É comum os dedos das mãos incharem, nos obrigando a tirar anéis. Eu uso minha aliança, sem tirar do dedo, desde que casei em 1999. Toda vez que viajo, ela me causa uma certa agonia. Fico mexendo na bichinha, tirando de vez em quando, porque ela fica apertada.

E, lembre-se que você terá que passar em um scanner corporal. Os agentes de segurança farão você tirar tudo, inclusive as moedas do bolso. Pense nas pessoas que estarão atrás de você na fila da inspeção. Ninguém tem culpa disso. Então para que atrasar todo mundo? Leve um ou outro acessório para usar na viagem e só. Em épocas como essa que vivemos, de intensificação do terrorismo, a inspeção nos aeroportos está mais severa. Quanto menos metal você levar junto ao corpo, melhor.

Saiba também que será preciso retirar da mala de mão o laptop que você carrega, para que ele passe pelo scanner. É norma de segurança, adotada em voos internacionais e agora também em voos nacionais. Não perca seu tempo discutindo a validade da mesma. Não perca seu tempo – e dos demais passageiros que aguardam atrás de você na fila do scanner, para discutir questões morais. As autoridades podem fazer essa revista. Não seja a chata que vai implicar, atrasar todo mundo e ainda por cima correr o risco de não poder embarcar;

8. Não beba nada com álcool antes de viajar e, se possível, também não o faça durante a viagem. Já estive em uns três voos, mais ou menos (e olhe que não viajo tanto assim não!) em que pessoas foram retiradas de seus assentos e proibidas de viajar por causa de bebedeira. Elas ficaram chatas, incomodaram outros passageiros e foram retiradas dos voos. Saiba que a pressurização da cabine do avião pode te deixar bêbada com menor quantidade de bebida. Você quer amargar uma ressaca logo no início de sua viagem? Se gosta de beber, deixe para fazê-lo em terra firme;

9. Use aquelas pochetezinhas que colocamos por baixo das roupas para guardar a maior parte de seu dinheiro, cartão de crédito, etc. Deixe algum dinheiro trocado, para as primeiras necessidades (como transporte, algum lanche), dentro da bolsa. Muita gente é roubada ao sair dos aeroportos (inclua-me nesse rol), ou na chegada. Se você tiver tudo guardado junto ao corpo, não perde muito. Se te assaltarem, você vai ter seu dinheiro todo;

10. Caminhe um pouco dentro do avião se sua viagem for longa. Uma esticada até o banheiro, de quando em quando, já é o suficiente para evitar a trombose venosa, que é séria e pode matar. Se você está em algum grupo de risco, previna-se usando meias elásticas durante todo o voo. Elas incomodam pra caramba, segundo quem as usa, mas são um mal necessário em alguns casos;

11. Aviões sacodem. É normal. Se você tem medo de voar, saiba que turbulências vão acontecer e tudo bem. Não entre em pânico por causa delas. Sei, é fácil falar…Mas, é o que eu posso fazer por você. Só posso te ajudar dessa forma, avisando, para que se mantenha calma;

12. Chegue no aeroporto com duas horas de antecedência, se seu voo for nacional, e três horas antes se for internacional. Não caia no erro de achar que duas ou três horas é muita coisa.Chegue na hora determinada. A fila a ser enfrentada será menor e, se existir algum problema, você terá como resolvê-lo com calma. Já vi gente tendo que voltar para casa porque esqueceu a identidade e, assim, não podia viajar, também gente que esqueceu de providenciar a autorização para o filho menor viajar desacompanhado…Dá de tudo. Então, não seja você a boba que deixará de chegar no horário estipulado;

13.Sempre leve seu cartão de crédito, mas evite usá-lo. Ele servirá como um “quebra-galho”. Se precisar, numa eventualidade, você estará segura. Você sofrerá uma taxação excessiva em razão do uso de cartões de crédito no exterior, por isso não recomendo essa prática. Planeje sua viagem sem depender do cartão. Só faça uso dele se extremamente necessário, como garantia de pagamento da conta do hotel. Muitos hotéis pedem seu cartão de crédito quando você faz o check-in e não te dão a chave do quarto sem essa formalidade. Eles não usaram seu cartão, não se preocupe. É apenas uma formalidade, para que o hotel se garanta contra safados que fogem sem pagar as contas.

Em uma das viagens que fiz com a família, simplesmente a agência de viagens tinha “esquecido” de comprar o trecho Porto Alegre-Rio de Janeiro para uma de minhas filhas, embora estivesse tudo marcado corretamente na documentação que recebi. Se eu não tivesse meu cartão de crédito na hora, eu e mais quatro pessoas iríamos perder a viagem. Em outra ocasião, perdi a conexão que me traria de São Paulo a Porto Alegre e aquele era o último voo para minha cidade. O outro sairia pela manhã. Tive que ir para um hotel. Se não tivesse meu cartão de crédito comigo, teria passado aquela noite sentada em um banco de aeroporto.

Ah, não esqueça de pedir o desbloqueio do cartão para uso internacional, caso esteja saindo do país;

14. Dica que talvez você não goste, mas vou dar mesmo assim: não viaje de salto! Para que sofrer? Se faz questão do salto, de ser vista saindo linda e poderosa de dentro do avião, leve-o na mala de mão. Se não for tão necessário assim, leve-o na mala mesmo. Mas, nunca viaje de salto. Nossos pés incham nas alturas. Os sapatos começam a machucar e muitas vezes nem conseguimos colocá-lo de volta! Fora que você pode ter que enfrentar longas horas em aeroportos. Não arrisque. Um bom e velho tênis resolve sua vida e te dá o conforto que você merece. Afinal, isso é uma viagem ou um trem para o inferno?

15. Caminhe o máximo que puder na cidade de destino. Quando usamos trem, taxi, ônibus, perdemos muitas coisas. Claro, as vezes não há jeito, então paciência… Quando viajo, caminho cerca de 20 quilômetros por dia. Olha a importância do tênis, de novo;

16.Cada um gosta de fazer um estilo de viagem. Eu estudo o lugar para o qual estou indo antes de viajar. Quando chego, sempre tenho noção do que existe para ser visto. No entanto, não viajo com um programa pré-estabelecido. Não tenho a programação diária realizada de antemão. Vou para onde meu humor me levar. De qualquer forma, como disse, sei o que há para ser visto. Mesmo que você goste de outras formas de viajar, planeje-se antes;

17.Tenha alguns lanchinhos e uma garrafa de água na bolsa durante seu passeio. Eu passo perrengues danados quando viajo, porque nunca tomo um café da manhã muito robusto e, então costumo precisar parar para comer três horas depois, coisa que meus acompanhantes normalmente não fazem. Eu passo mal de fome! 🙂 Não sou, definitivamente, aquele tipo de pessoa que pode pular refeições. Eu como pouco, de tanto em tanto. Por isso, as barras de cereal me salvam sempre. Se você é como eu, não esqueça de chegar em seu destino e providenciar esses lanchinhos;

18. Limpe sua sujeira, onde quer que esteja. Infelizmente preciso dizer isso: nós, brasileiras, somos descuidados quanto a esse quesito. É só olhar para nossas praias depois de um dia de sol: ficam imundas, com porcarias de todo o tipo rolando no mar e na areia. Não faça isso! Está comendo em um fast-food? Ponha os restos de comida fora. Foi na praia? Cate o seu lixo. Fumou? Não jogue o cigarro na calçada. Simples.

O que achou das dicas? Tem mais alguma para compartilhar?

Beijos e me liga!

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *