Consumo de tendências X autoconhecimento 6


Mulherada amada do meu coração! A partir de hoje teremos uma convidada aqui no site, falando sobre moda. É a Adriana Gancz, Dri, consultora de moda das mais bacanas e queridas. Todo mês teremos um textinho dela. E sabe? Não vou me alongar. Dri, seja bem-vinda! E manda ver!

Oi!

Meu nome é Adriana (mas todo mundo me chama de Dri).

A partir de agora estarei aqui mensalmente conversando sobre moda e outros papos relacionados ao universo das roupas. Como consultora de imagem, o meu trabalho é voltado para a comunicação através da imagem. Então, é nessa direção que nosso papo vai rolar.

Para começarmos, quero fazer algumas perguntas: como você se sente a respeito das tendências de moda? Você costuma render-se a elas, as renegam até a morte ou adota apenas aquelas que combinam com você por algum motivo?

Antes de me tornar consultora de imagem, eu me deixava levar facilmente por essas tendências, que muitas vezes nada tinham a ver com: meu estilo de vida, minha personalidade ou com meu corpo. Isso mudou! Quando busquei me conhecer melhor e passei a me observar, a minha relação com a moda se transformou.

Autoconhecimento é determinante para fazermos escolhas acertadas na vida, e não é diferente quando o assunto é o vestir.

O que eu estou querendo dizer é que quando sabemos quem somos, e o que verdadeiramente nos agrada sabemos o que nos atende (e o que não nos atende). É o autoconhecimento que vai nos guiar para escolhas coerentes e nos poupar de gastos desnecessários, desperdícios e arrependimentos.

Abra o seu armário e observe: do que você realmente gosta? Por que você gosta? O que você comprou e nunca usou? Tente se lembrar o que fez com que você comprasse aquela peça. Você a experimentou? (ah! Regra de ouro: nunca, nunca mesmo, compre nada sem experimentar, combinado?).

Outro exercício que surte bons resultados é vestir TODAS a peças do seu guarda-roupas e, na frente do espelho, observar o que você gosta ou não. Olhe o corte da roupa, sinta o toque dos tecidos, observe o tom da cor sobre sua pele. Você gosta do que vê? O conforto é importante? Que cores ficam bem em você?

A partir dessas respostas, vá tentando identificar tudo que você gosta e também o que não gosta. Perceba os padrões positivos e os negativos no seu processo de consumo. Seja verdadeira com você mesma!

Essa investigação deve ser feita constantemente, pois temos tendência a voltar aos antigos e enraizados hábitos. No entanto, se feitas frequentemente, elas são muito eficientes no processo de autoconhecimento e podem de fato ajudá-la a mudar padrões negativos de consumo.

Então, observe-se! Perca-se em você, até que se encontre. Uma das grandes vantagens da maturidade (seja em qualquer idade) é perceber-se única. E isso é verdadeiramente libertador!

Grande beijo!

Dri

Adriana Gancz é formada em Design Gráfico e pós–graduada em Especialização em Artes Visuais – Cultura e Criação.

O desejo de compreender as mensagens transmitidas através das cores, linhas e formas das roupas fez com que ela se apaixonasse pelas possibilidades da comunicação através da imagem. Fez vários cursos na área de Consultoria de Imagem até que encontrou no método Style.Int™, de Ilana Berenholc, o alinhamento com os seus anseios profissionais


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 pensamentos em “Consumo de tendências X autoconhecimento

  • Claudia

    Muitas vezes compramos roupas apenas por impulso, sem ao menos vestir, sim, peças ate que lindas, mais nao era aquilo que esperavamos ao vestir,
    Adorei a materia, Parabns

    • Adriana Gancz

      Oi Claudia!!!
      É isso mesmo, infelizmente, ainda caímos nessas “armadilhas”. Mas, acredito que, quanto mais atentas estivermos, menos isso acontecerá!
      Vencer um impulso consumista é um grande desafio, mas também muito gratificante e libertador!

      Um grande beijo!
      Dri