Desapegue e descarte para 2018 fluir melhor!


 

Restinho de férias, volta de viagens, início das atividades – hora excelente de aproveitar as baterias carregadas e praticar o desapego, descartar o que não tem mais serventia e caminhar só com o que nos serve, nos é útil, nos faz bem e feliz.

Se tivermos um olhar mais atento perceberemos que acumulamos muito mais coisas do que realmente precisamos. E essas coisas tomam espaço e tempo em nossas vidas.

Libertar-se de coisas que perderam ou não tem utilidade tem uma porção de benefícios, olha só:

1. Economia de espaço físico – e consequentemente melhor disposição e visualização das coisas úteis que ficam, facilitando o uso do dia a dia.

2. Ocupam menos espaço mental e dão menos trabalho – Coisas preocupam, pois precisam ser limpas, ser armazenadas, precisam de manutenção, conservação, conserto. Quanto menos coisas, menos preocupações.

3. Podem render dinheiro – Coisas de valor que não estão sendo utilizadas podem ser vendidas e render um extra.

4. Ajudam pessoas que precisam – o que está sobrando e parado para alguns, pode suprir a necessidade básica de outros. Doar faz bem -segundo pesquisadores, realizar doações estimula a região do cérebro que nos dá prazer. Quem pratica já experimentou esta ótima sensação.

5. Nos dão uma maior noção do que realmente precisamos.

6. E nos fazem ver onde estamos gastando dinheiro à toa.

Bem, e desapegar do que?
Dá para desapegar de muitas coisas.

 

No quarto:
1. Roupas e calçados que você não usa há mais de um ano. Exceção para roupas que você só usa em invernos rigorosos de outros países e outras de uso esporádico semelhante.

2. Roupas que não te vistam bem, não valorizem o seu tipo físico e não te deixem confortável. Vale para calçados.

3. Roupas rasgadas, laceadas, furadas ou manchadas. Vale para calçados e roupas de cama e banho.

4. Roupas que você guardou para usar quando emagrecer. Esquece e desapega! Quando você emagrecer, vai querer roupas novas e da época!

5. Maquiagens e esmaltes vencidos, cores que já não estão na moda ou não combinam mais com você.

6. Bijuterias – brincos sem par, peças com falta de pedras e peças que não fazem mais seu estilo.

7. Perfumes vencidos.

8. Remédios e cremes vencidos.

9. Carteiras, malas, bolsas, nécessaires velhas e desgastadas, sem fecho, descascadas ou rachadas.

 

 

Na cozinha / área de serviço:

1. Alimentos e produtos de limpeza vencidos.

2. Vasilhas plásticas deterioradas ou sem tampas.

3. Panelas em excesso.

4. Copos em excesso (acúmulo de copos de requeijão e outros).

5. Panos de prato, toalhas de mesa e afins, manchados, furados ou rasgados.

6. Copos, xícaras, pratos, pires, pirex lascados.

7. Eletro-portáteis nunca usados ou quebrados e sem conserto.

 

Eletrônicos e afins:

1. Cabos, fios e coisas que você não sabe o que é e para o que serve.

2. Aparelhos que não funcionam e não tem conserto.

3. Aparelhos e itens obsoletos ou que já foram substituídos.

4. Pilhas e baterias velhas.

5. DVDs que não assiste mais.

 

Lembranças:

A pergunta a se fazer aqui é: Tem REAL valor sentimental?

1. Convites de formatura, casamento, nascimento, chá de panela, de fralda recebidos de parentes e amigos.

2. Revistas, jornais e folhetos – Se existe alguma receita ou matéria especial, digitalize e crie uma pasta, mas hoje, tudo se acha na internet.

3. Livros – Se você adorou e vai ler de novo, guarde, mas se não, doe para que outra pessoa tenha a oportunidade de gostar também.

4. Cadernos, bilhetes, desenhos dos filhos – O que tiver realmente valor pode ser emoldurado ou pode se fazer uma digitalização e um filme.

 

Brinquedos:

1. Que já passaram da idade dos filhos

2. Que estejam quebrados ou faltando peças.

3. DVDs e livros infantis que já passaram da fase dos filhos.

Bem, existem ainda outros itens que tem o tempo certo para descarte como travesseiros, esponjas e documentos, mas isso é assunto para outra postagem.

E como descartar? Basicamente o descarte é separado em três categorias:

 

Lixo: o que está quebrado, muito danificado, vencido ou não funciona mais. Lembrar que remédios, pilhas, baterias, eletrônicos tem que ir para um lixo especial.

 

 

Doação: O que está em bom estado de conservação e pode ser utilizado por outra pessoa.

OBS: Não se doam roupas rasgadas, furadas e manchadas, e de preferência, doa-se tudo limpo.

 

Venda: O que está em bom estado e tem valor monetário.

Bem, e para finalizar, duas coisas:

1. Quando estiver fazendo compras, pergunte-se – Isto vai ter utilidade? Estou comprando por impulso? Já tenho algo com utilidade semelhante? E só leve para casa coisas realmente úteis, que você realmente esteja precisando ou que vá usar muito.

2. Agora, após este desapego e descarte todo, com a casa leve e mais fluida, “bora” lá viver um 2018 produtivo e feliz!

 

Gisela é arquiteta, personal organizer e consultora em organização. Sócia fundadora da Arpop-MG, atua de forma customizada em projetos organizacionais para residências e empresas.

Contatos:
(31) 99943-1063
giselawl@gmail.com
Facebook: giselawlpo
Instagram: giselawl.personal organizer

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *