Problemas com a organização do quarto infantil? 8 dicas de como resolver e ainda auxiliar o desenvolvimento de seu filho.


Como em outubro temos o Dia das Crianças e depois o Halloween, nosso foco este mês será a organização infantil, que junto com a rotina, é de extrema importância para a formação e desenvolvimento dos pequenos. As duas juntas possibilitam a antecipação do acontecimento e concretizam funções e atividades, levando a criança a um processo de reconhecimento pessoal, que os situa no mundo e dá aos mesmos segurança e tranquilidade diante da vida.

E quarto de criança em geral tem múltiplas funções, não é mesmo? Muita gente reclama que é bem difícil mantê-lo organizado.

É o local de dormir, de brincar, de desenhar, de ler e de estudar. Então vamos colocar os pingos nos is e ajudar nossas crianças a se tornarem adultos seguros, responsáveis e independentes?

8 dicas de como organizar o quarto infantil e ainda auxiliar o desenvolvimento de seu filho

1. Separar as atividades
Na medida do possível, o ideal é separar as diversas atividades para auxiliar a sua compreensão e dinâmica. Para isso formamos o cantinho da leitura, o cantinho dos brinquedos, o cantinho de dormir, etc.

2. Organizar na altura da criança
A organização vai acompanhando a faixa etária da criança, e o melhor é deixar os brinquedos na altura dos olhos e mãos das crianças, pois a participação ativa do escolher, pegar e guardar é importante para o desenvolvimento de sua autonomia. Caso não haja espaço suficiente, deixe em baixo os preferidos e mais estimulantes e coloque mais para cima os demais. Também é legal o rodízio dos brinquedos e brincadeiras. E, sempre é bom ensiná-los desde cedo a guardar os brinquedos no lugar e isso pode ser facilitado com musiquinhas ou brincadeiras para este fim.

3. Cantinho da Leitura
A leitura é um dos passos fundamentais da alfabetização infantil e é comprovado que quando a leitura é estimulada desde cedo, a chance da criança continuar com hábitos de leitura durante a vida é muito maior.

Então vale a mesma regra dos brinquedos: deixar os livros sempre à mão e fácil de serem encontrados. Além disso, deixar o cantinho bem confortável e convidativo, como também bem iluminado, para que o ato de ler seja muito prazeroso.

Para os menorzinhos, deixar a capa dos livrinhos visíveis para um reconhecimento mais imediato.

O cantinho da leitura pode ter apenas um tapetinho gostoso no chão, com uso de almofadas, pufes ou uma poltroninha confortável.

4. Estipular o local de desenhar
Para que os pequenos não rabisquem as paredes todas, é interessante determinar um local próprio para isso. Pode ser uma mesinha apropriada à altura da criança, ou mesmo determinar uma parede para este fim. Desta maneira a criança aprende que existe lugar adequado para cada atividade.

É muito bacana neste mesmo espaço ou nas proximidades fazer uma galeria para a exposição das “obras de arte”, pois a valorização é uma forma de estimular o melhor de cada criança e ainda fazê-la sentir-se integrada ao espaço.

5. Categorização e forma de guardar os brinquedos
O universo dos brinquedos é imenso, vai de jogos, bolas, bonecas, carros à brinquedos compostos de pequenas peças. Para facilitar o reconhecimento e o acesso aos diversos tipos, devemos separá-los em categorias. Por exemplo, bola com bola, carrinho com carrinho, boneca com boneca jogos com jogos. Isso agiliza o processo de pegar e o de guardar e dá a certeza que na próxima vez vai estar naquele local. Baús e cestos grandes onde se colocam de tudo não são indicados, pois a criança não tem ideia do que tem lá dentro e para achar uma coisa precisa esparramar todas. É bagunça dentro do baú e fora. Estes podem ser usados para coisas grandes como bolas e bichos de pelúcia.

O ideal é guardar cada categoria em prateleiras e nichos distintos ou caixas e cestas transparentes ou então etiquetadas, assim quando a criança quer determinado brinquedo, visualiza rapidamente onde está e sabe onde guardará depois. Estas etiquetas podem ser escritas para os maiorzinhos e com desenho ou foto para os menorzinhos. É interessante, inclusive, envolvê-los neste desenho ou escrita das etiquetas.

6. Fantasias

Ah! Existe a fase das fantasias! As crianças adoram e vivenciam as estórias de seus personagens favoritos e a criatividade corre solta. Nesta fase é interessante que as fantasias também fiquem a vista e de preferência na altura das crianças, para que o acesso seja fácil. Todos os acessórios da fantasia devem estar junto ou próximo em caixas e cestos ou prateleiras e gavetas.

7. Cantinho de Estudo
Um espaço de estudo bem organizado otimiza o aprendizado e também diminui o tempo para realizar tarefas, pois melhora a concentração.

Primeiramente, o espaço deve ser agradável para que a criança associe o estudo a algo positivo e tranquilo. Não são necessárias muitas coisas, apenas a escrivaninha, uma luminária e uma cadeira confortável, capaz de manter a postura ereta. A escrivaninha deve estar próxima da iluminação natural do cômodo e de preferência, ter um local onde guardar o material escolar para que tudo esteja à mão. É interessante colocar um quadro de horários e lembretes para auxiliar a organização das atividades.

O ideal é que computador, telefone e videogames estejam longe deste local, pois são os grandes vilões da falta de foco.

Outra ação que ajuda a concentração e tranquilidade é colocar esta escrivaninha de costas para a porta, brinquedos e cama.

8. Cantinho de Dormir
Tomar um banho morno, colocar pijama, escovar os dentes e ler uma boa história são hábitos regulares que ajudam a deixar os pequenos mais seguros sobre o fato de estar indo para a cama, sem falar de estipular um horário de dormir.

Encorajá-los a dormir na própria cama gera neles sentimentos de segurança, de capacidade e consequentemente estimulam uma boa autoestima.

É importante que a cama seja aconchegante, sem distrações, como televisão, que o ambiente esteja escurecido e seja silencioso.

A organização dá a uma criança muito mais do que arrumação. Dá-lhes:

– Previsibilidade que orienta seu comportamento;
– Equilíbrio emocional, pois não existem os fatores para o estresse e a desmotivação encontrados na bagunça;
– Segurança, ela sabe com o que pode contar e consequentemente sente-se mais segura.
– Confiança, pois um ambiente organizado promove a harmonia e ajuda a criança a reconhecer e ser reconhecida no espaço.

Agora, para terminar, não deixe que a organização seja muito quadradinha e intimide os pequenos a brincar e criar, pois esta parte é extremamente importante no seu desenvolvimento e para tanto eles vão “desorganizar”.

 

Fotos do Pinterest

 

Gisela é arquiteta, personal organizer e consultora em organização. Sócia fundadora da Arpop-MG, atua de forma customizada em projetos organizacionais para residências e empresas.

Contatos:
(31) 99943-1063
giselawl@gmail.com
Facebook: giselawlpo
Instagram: giselawl.personal organizer

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *